Radioterapia

Radioterapia ICC

Sobre a Radioterapia

A Radioterapia é uma modalidade clínica que utiliza radiações ionizantes para tratar o câncer. As doses de radiação e o tempo de aplicação são calculados de acordo com o tipo e tamanho do tumor. De maneira que a incidência de radiação seja eficiente para destruir as células doentes e preservar as sadias.

Referência em todo Norte e Nordeste, o serviço de Radioterapia do HHJ possui o maior parque tecnológico da região. Com uma atuação interdisciplinar e integrada, reúne uma equipe médica e multidisciplinar especializada, como apoio de físicos médicos, residentes, técnicos, dosimetristas e profissionais da Enfermagem, Nutrição e Psicologia, que orientam e dão suporte assistencial ao paciente.

A enfermagem atua também no acolhimento do paciente, esclarecendo dúvidas sobre o tratamento, efeitos colaterais, aos cuidados com a pele, aos hábitos de higiene e à evolução de radiodermites ou mucosites.

Investir nos avanços tecnológicos é uma preocupação do ICC, que, em 2013, introduziu a técnica de Radioterapia com Modulação da Intensidade de Feixe, conhecida como IMRT, e, em 2015, adquiriu um novo aparelho de Braquiterapia de alta taxa de dose, indispensável no tratamento curativo dos tumores ginecológicos. O HHJ possui aceleradores lineares com colimadores robotizados gerenciados por computador, um simulador 2D e um tomógrafo dedicado para planejamento técnico, sendo o único serviço no Ceará que gerencia todas as etapas da radioterapia.

Braquiterapia

A braquiterapia é uma modalidade de radioterapia, que tem por objetivo irradiar o mais próximo possível o local a ser tratado através da colocação de fonte radioativa diretamente no tumor ou em área muito próxima.

Existem dois tipos principais de braquiterapia, a intracavitária e a intersticial. Na intracavitária a fonte radioativa é colocada em uma cavidade próxima à localização do tumor, como na braquiterapia ginecológica. Na intersticial, as fontes radioativas são colocadas diretamente no tecido, como na braquiterapia de próstata.

Intraoperatória

Disponível em poucos centros do país, o ICC foi pioneiro no Ceará na utilização da Radioterapia Intraoperatória, uma técnica inovadora que associa a aplicação de radioterapia à cirurgia, durante a retirada da lesão.

Utilizando uma única aplicação, o procedimento substitui as aplicações diárias de radioterapia, para apenas alguns minutos, oferecendo maior comodidade ao paciente.

IMRT

A Radioterapia com Intensidade Modulada, conhecida por IMRT (IntensityModulatedRadiationTherapy), é uma técnica revolucionária que começou a ser utilizada em 2014 pelo Hospital Haroldo Juaçaba, único do Ceará a oferecer essa modalidade. Com ela, é possível “esculpir” a dose da radiação de forma mais precisa ao redor do tumor, poupando os órgãos sadios próximos.

No IMRT, o feixe de radiação tem sua intensidade modificada através de lâminas localizadas dentro do Acelerador Linear. Essas lâminas se movem durante o tratamento, deixando passar mais ou menos radiação, de acordo com a posição e a anatomia das estruturas sob aquele feixe. A velocidade e a forma com que tais acessórios se movem são sugeridos pelo software após serem informados os objetivos a se alcançar para aquele caso, ou seja, com que dose se quer chegar no tumor e qual o limite da dose para os órgãos normais próximos.

No caso de tumores de próstata, por exemplo, a parte final do intestino (reto) e a bexiga ficam mais resguardados, com o paciente apresentando menor taxa de complicações intestinais e urinárias, já que a radiação se concentra quase que exclusivamente na próstata. Isso permite, inclusive, que o médico prescreva uma dose maior de radiação. Esse tratamento, como qualquer intervenção, não é recomendado a todos, mas é fruto de uma cuidadosa avaliação da relação custo-benefício.

Em relação aos tumores de cabeça e pescoço, o enorme benefício do IMRT em reduzir as toxicidades do tratamento é vastamente respaldado pela literatura médica, já sendo, inclusive, autorizado pelas operadoras de convênios.

Além dos tumores de próstata e cabeça e pescoço, as principais indicações do IMRT dizem respeito aos tumores de canal anal e ginecológicos, embora várias outras situações clínicas possam ser consideradas pelo radio-oncologista. O novo procedimento requer maior esforço e tempo de dedicação por parte da equipe de médicos, físicos-médicos, dosimetristas e técnicos, sendo mais um passo relevante do ICC na busca por um tratamento oncológico com um mínimo de toxicidade.

Parque Tecnológico

  • Aceleradores Lineares de Partículas (Fótons e Elétrons)
  • Simulador
  • Tomógrafo Multislice – simulação e planejamento 3D/IMRT
  • Radioterapia Intraoperatória da mama
  • Braquiterapia de Próstata com Iodo-125
  • Braquiterapia de alta taxa de dose IR-192
  • IMRT