FRITURAS NÃO SÃO UMA BOA PEDIDA. ENTENDA O POR QUÊ.

FRITURAS NÃO SÃO UMA BOA PEDIDA. ENTENDA O POR QUÊ.

Queridas ou odiadas, as frituras polarizam uma discussão que vai desde a  preferência alimentar à questão de hábitos saudáveis. No entanto, existe um fato irrefutável: consumir alimentos fritos com frequência não faz bem à saúde. Além da ligação direta com a obesidade, esse tipo de preparo, por si só, gera produtos tóxicos e cancerígenos, alterando negativamente as propriedades do produto.

“Durante o processo de fritura, são formados diversos compostos prejudiciais à saúde. Os  danos ao organismo envolvem transtornos como aterosclerose, elevados índices de colesterol, aumento do peso corporal, acúmulo de gordura visceral, entre outros”, crava a nutricionista Rafaella Fragoso, do Hospital Haroldo Juaçaba (HHJ).

Frituras x Demais preparos

O que diferencia uma fritura de um alimento cozido, por exemplo? A questão está na imersão do óleo, que faz com que a gordura seja agregada ao preparado. Isso não acontece com cozidos e assados, que não têm óleo em sua manipulação.

Não é a toa que é possível sentir, já a alguma distância, o cheiro de um alimento frito. No processo de fritura, ocorrem diversas alterações no produto e, uma delas, envolve uma reação química que produz ácidos graxos livres, que alteram as características sensoriais. Além disso, moléculas complexas e compostos voláteis são produzidas no momento da fritura. Toda essa química caracterizam as típicas características desses alimentos, como o sabor e o aroma desagradável que se espalha no ambiente.

Gosto do sabor, e agora?

Se você acredita fielmente que os alimentos fritos são mais saborosos, saiba que a criatividade em preparar as refeições e até mesmo o tempero são capazes de fazê-lo mudar de opinião. “Todo paladar é adaptável e é uma questão de escolha ser saudável”, finaliza Rafaella Fragoso.

*Foto: Pixabay

Sem comentários

Deixa um comentário